domingo, 25 de setembro de 2016

Exercite seu cérebro!

Atividades simples e divertidas para preguiçoso nenhum colocar defeito

Alunos do SUPERA durante aula

Ir para a academia ou fazer caminhadas, assim como praticar esportes, faz bem para o corpo e isso não é novidade. O cérebro humano é a maior e a melhor máquina que podemos ter, e não adianta ter um corpo saudável se o amigo que está dentro da sua cabeça começar a falhar. Atividades simples e muito prazerosas, como conhecer novos lugares e fazer novos amigos, já podem contribuir como exercício para o cérebro. E os resultados podem ser imediatos: desde crianças que precisam a ter mais atenção, jovens que querem prestar o vestibular e idosos que precisam de mais coordenação e memória.

No mundo agitado, estressado e corrido, apreciar o humor e dar boas risadas requer um esforço cognitivo, pois acaba dependendo da atividade de diversos circuitos internos do cérebro. “A ginástica cerebral estimula a mente com novidades e desafios crescentes, que acionam novas áreas do cérebro, reconstituindo redes de conexões neurais. Quando desvendamos os desafios, encontramos prazer em aprender coisas novas e sorrimos de alguma situação, e somente com isso ativamos três regiões do lado esquerdo do cérebro, responsáveis pelo prazer, emoções e sensações corporais”, conta Solange Jacob, diretora pedagógica nacional do Método SUPERA.  Fazer um trajeto novo para o trabalho, amarrar o sapato com apenas uma mão e tomar banho com as luzes apagadas são algumas dicas de coisas simples do dia a dia que podem contribuir para o desenvolvimento do raciocínio lógico, autodisciplina, atenção, foco e concentração. Mas, assim como frequentamos a academia, é bom ter acompanhamento especializado.

O nosso cérebro possui uma capacidade de se modificar e criar novas conexões através das experiências que realizamos, sem ser de alguma forma prejuidicial para ele. É assim, por exemplo, com a tecnologia, que na visão de muitos especialistas deixou a humanidade mais dependente e “preguiçosa”. Porém, Solange não compartilha totalmente da mesma opinião. “A tecnologia  está mudando a forma de pensarmos e processarmos informação. Isto por si só já um exercício para o cérebro. Uma matéria foi divulgada pela NPR, uma ONG americana, sobre a tecnologia e seus efeitos no cérebro. O autor e palestrante, Nicholas Carr, também escreveu recentemente explicando como o uso de tecnologia mudou a forma que ele absorve e processa informações e talvez até esteja remapeando seus circuitos neurais”, conta.

Mas também, de acordo com a própria pesquisa, a tecnologia não nos permite ter muito foco no que estamos fazendo. Por isso que a especialista explica que ler é uma ferramenta poderosa das funções cognitivas, afinal você precisar estar 100% atento, ou até mesmo reler para compreender. “Começamos com textos simples, com histórias dinâmicas e de fácil compreensão.  Mas é importante aumentar a complexidade dos textos gradativamente para fornecer mais estímulos às funções cerebrais”, conclui.

A ginástica cerebral traz diversos benefícios desde a infância até a terceira idade, e também traz tanto resultados imediatos quanto ao longo dos anos. Ou seja, em qualquer idade pode ser direcionada para um objetivo: a criança passa a ter mais interesse pelas aulas na escola e mais facilidade de aprender, o jovem a melhorar notas na faculdade, o adulto a impulsionar a carreria e o idoso mantém a memória ativa. É justamente por todo esse exercício, que doenças como o Alzheimer, uma das demências que mais assolam a humanidade, podem ser prevenidas.

E é recompensador cada minuto dedicado a esta ginástica essencial para a saúde. Não são apenas modificações neurológicas, mas sim um achar de si próprio. As pessoas passam a se achar mais competentes e seguras naquilo que fazem - até mesmo em uma partida de futebol com os amigos - e superam a timidez e a depressão. Então, que tal “malhar” o cérebro?

Fonte:
SUPERA Ginástica para o Cérebro: www.metodosupera.com.br  e o canal no youtube com reportagens, dicas e depoimentos.




0 comentários:

Postar um comentário