Alimentação Natural x Ração

É preciso entender as necessidades do seu pet para não comprometer a saúde dele com alimentação inadequada

Mulher Maravilha: DC acerta em cheio pela primeira vez

Gal Gadot brilha e DC emplaca boa bilheteria nos cinemas

Stress exige mudança de hábitos

O nervosismo e a ansiedade acabam criando “rotinas” que precisam ser mudadas

WhatsApp e redes sociais: pessoal e profissional não devem interferir um no outro

Uso das ferramentas online é cada vez mais comum por parte de empresas e funcionários, porém elas podem causar grandes desgastes nas relações trabalhistas e pessoais

Sustentabilidade nas pizzarias

Estabelecimentos apostam na saúde do meio ambiente para levar o melhor sabor à mesa

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Rogue One: Uma história Star Wars

Com bom enredo e muita ação, novo longa cria frenesi em fãs, mas ainda deixa a desejar para outros

Divulgação

Quando se fala em Star Wars é preciso ter cuidado, tanto de quem produz quanto de quem vai falar sobre este universo. Com uma grande reputação a zelar, realmente não deve ser fácil trazer um novo filme – com uma história dentro de outra história – para as telas do cinema. Como uma das maiores sagas de todos os tempos, há ainda um obstáculo obscuro: agradar aos mais jovens, aos mais velhos, as crianças, aos que são fãs e aos que não são. Não é pouca coisa! Por isso mesmo que Rogue One: Uma história Star Wars tem tantos desafios.

A sala entra em frenesi constante com as referências, as aparições de antigos, conhecidos e queridos personagens, ou até mesmo as batalhas. Se tem algo que Star Wars consegue fazer muito bem é travar lutas, sejam aquelas com sabres de luz, armas ou simplesmente a astúcia. Tudo é muito bem construído, com cenários impecáveis, que nos fazem sentir como se estivéssemos realmente nos diversos planetas. Aos fãs talvez não existam erros, mas eles existem.

Aos olhos de um leigo ou de alguém que não é tão fanático por Star Wars, o filme deixa muito a desejar na explicação de alguns acontecimentos – uma vez que ele se passa entre um filme e outro – e se perde no “encaixe” dos personagens. Falta o carisma deles com o público presente na sala e, portanto, não existe a dor da perda e nem a emoção por eles. Jyn Erso, Cassian Andor e K2SO não conseguem, ao longo de todo o tempo, estabelecer uma ligação com o espectador. Não é um problema de atuação, mas sim no roteiro.

Em algumas partes, a impressão que (me) foi passada é de que não tiveram tempo para a construção dos personagens e simplesmente os jogaram ali. Foi um “de repente” atrás de outro: alguém que não sabia de nada, soube de tudo; onde não havia confiança alguma, passou-se a ter; um transtornado se cura em alguns segundos; um outro que mal tem seus motivos explicados; outro achado em um planeta decide fazer parte da Rebelião aparentemente sem nenhum motivo para isso; outro que poderia simplesmente não existir na história. Não existe química entre os personagens e muito menos deles com o público. E é por isso mesmo que o “frenesi” dos fãs é causado pelas aparições de outros já conhecidos.


Obviamente que isto não tira o brilhantismo da saga – e menos ainda do filme, uma vez que alguns críticos estão dizendo ser este o melhor filme de Star Wars. Uma pena, pois o anterior teve muito mais dessa receita de sucesso, com mistérios, enigmas, batalhas e trouxe a esta nova geração uma leva de personagens queridos e carismáticos. Enfim, Rogue One não é uma história feita para o público novo nas guerras das estrelas. Os fãs se sentirão satisfeitos com o resultado e os demais apenas sentirão aquela pontinha de que faltou alguma coisa. Foi bom, mas poderia ser melhor. 

Vai viajar? Veja dicas do que fazer com o seu pet

É possível sim levar o seu animalzinho para aquela viagem inesquecível!

Divulgação


O fim de ano é sempre muito complicado para os bichinhos. Época de férias, festas, calor e praia, muitos donos não sabem o que fazer com o seu animalzinho para que ele não sofra e enquanto alguns deixam de viajar, outros os abandonam. Mas é possível levar o seu animal para qualquer lugar, desde que seja um hotel petfriendly e que você obtenha tudo que for necessário para tomar os devidos cuidados com ele.

Veja algumas dicas do Vet Quality Centro Veterinário 24h sobre o que fazer para aproveitar estes belos dias ao lado do seu melhor amigo:

ITENS BÁSICOS PARA BAGAGEM DO SEU ANIMAL:
- Coleira e guia
- Ração em quantidade adequada para período da viagem
- Potes para água e comida
- Shampoo de costume e toalha
- Cama, brinquedos
- Medicamentos de uso contínuo e para emergências

PREVENÇÃO DE DOENÇAS:
- O animal deve estar com vacinação e vermifugação atualizadas.
- Viagens para litoral exigem prevenção contra Dirofilariose ou verme do coração.
- Viagens para localidade rural exigem prevenção contra pulgas e carrapatos, além de cuidados com berne e picadas de insetos que podem ocasionar reações alérgicas.
- Consultar Médico Veterinário para maiores informações.

TRANSPORTES:
A escolha do meio de transporte mais adequado vai depender da distância até o destino final. Viagens longas de carro causam maior estresse ao animal, dê preferência pelo transporte aéreo.

Antes da viagem, seja ela de carro ou avião, evite alimentar o animal para evitar enjôo.

CARRO:
- O animal deve ser transportado no banco traseiro utilizando cinto de segurança especial para cães ou caixa de transporte adequada (cães e gatos).
- O ambiente dentro do automóvel deve estar fresco, o excesso de calor pode causar danos irreversíveis à saúde do animal.
- Em caso de viagens longas, parar a cada 2 horas para oferecer água e passear com o animal.

AVIÃO:
- Atentar-se as regras de cada companhia aérea quanto ao tipo e tamanho de caixa de transporte necessário, necessidade de sedação do animal, reserva da viagem, documentação necessária para embarque do animal, e lembrar que o número de animais por vôo é limitado.
- Algumas companhias permitem a viagem do animal na cabine junto com seu dono ao invés de ir no bagageiro, informe-se com a companhia aérea.

DOCUMENTAÇÃO VIAGENS DE CARRO OU AVIÃO:

VIAGENS NACIONAIS:
- Certificado de vacinação antirrábica para animais com mais de 4meses de idade contendo o nome do laboratório produtor da vacina, lote e validade da vacina. A vacina deve ser aplicada há mais de 30 dias e menos de 1 ano da data da viagem.
- Atestado de saúde emitido por um médico veterinário, com informações sobre as condições de saúde e se o animal está apto para viajar. O atestado possui validade de 10 dias a partir data de emissão.

VIAGENS INTERNACIONAIS:
- Certificado Zoosanitário Internacional (CZI) emitido pelo Ministério da Agricultura, gratuitamente, nos aeroportos internacionais. Agendar com antecedência uma consulta para realização dos procedimentos necessários para emissão do documento. O prazo para emissão do mesmo pode passar de 30 dias úteis.
- Atestado de saúde emitido por um médico veterinário, com informações sobre as condições de saúde e se o animal está apto para viajar. O atestado possui validade de 10 dias a partir data de emissão.
- Carteira de vacinação atualizada.
- Documento de comprovação da aplicação do microchip, contendo o número, data da aplicação e localização, devidamente firmada pelo técnico responsável.
- Alguns países exigem exames e documentos específicos, além de realizarem quarentena na chegada do animal. É importante se informar antes de agendar a viagem.


Adeus frustrações do ano velho

Esqueça o que já passou e se planeje para ter o melhor de 2017!


O ano de 2016 não foi nada fácil e muitas vezes a impressão que fica é de que estamos caminhando para algo cada vez pior. Marcado por muitos acontecimentos políticos, econômicos e sociais, o único sentimento que parece prevalecer é o da incerteza e sempre que um ano termina temos a tendência de avaliar o que fizemos e do quanto produzimos ou ganhamos.

“Um estudo realizado pela Global Corporatte chegou à conclusão de que pessoas não estressadas são 24% mais produtivas. Diante disso, cabe a nós pensarmos o quanto vale a pena nos estressarmos ou nos frustarmos com alguma atividade não cumprida ou meta não alcançada. Quando algo dá errado, o melhor caminho é respirarmos fundo, aprendermos com o erro e criarmos estratégias para fazer diferente daqui para frente”, afirma Tathiane Deândhela, Master Coach e autora do livro “Faça o tempo trabalhar para você”.  A especialista lista alguns pontos essenciais para jogar as frustrações do ano para trás:

1 - O que aprendi com essas situações;
2- O que farei de diferente no ano que vem;
3 - Lista de pendências para resolver antes de finalizar o ano;
4 - Seleção de prioridades e o que abre mão (temos que exercitar o desapego, afinal, grande parte das vezes não dá para fazer tudo mesmo)
5 - Determinar o que das atividades pendentes poderão ser delegadas;
6 - Por fim, partir para a execução, tendo em mente a sensação de recompensa pela realização destas atividades. Mentalize a emoção positiva e se encha de energia para fazer acontecer.

 Talvez, o único momento em que não pensamos em nada disso é durante um bom período de férias e este é um bom exemplo a ser seguido para o próximo ano. É preciso “estar de férias” sempre. Despreocupados, nossa mente é mais clara e objetiva, pois se torna, automaticamente, mais aberta a novas idéias e pensamentos. Ter sucesso não significa ter dinheiro ou status social, e sim, ser – envolve o equilibro físico e mental.

Por isso, é importante ter um planejamento daquilo que se quer ser e conquistar. Deixar clara suas metas, seus sonhos e seus objetivos para que não se percam  no meio do caminho. “Sonhar grande ou sonhar pequeno dá o mesmo trabalho, por isso é melhor sempre sonhar grande, mas dividir em partes menores, senão, acabaremos por deixar para a última hora. Quando temos metas diárias, semanais e mensais, fica fácil de chegar ao final do ano e alcançarmos os resultados finais. É fundamental comemorar durante o processo, pois nos energiza para prosseguirmos na jornada”, conta Tathiane.

Confira o passo a passo da Master Coach e se prepare para ter um 2017 cheio de realizações:
1 - Escreva as metas em um lugar visível;
2 - Estabeleça prazo de início e prazo de término;
3 - Divida as metas em partes factíveis;
4 - Construa planos de ações para cada meta ou objetivo traçado. Lembre-se que quanto mais específico e detalhado for, mas chances de realização;
5 - Se comprometa consigo mesmo e com amigos que confia para serem guardiões;
6 - Liste todos os ganhos que terá ao conseguir cumprir com todas as atividades;
7 - Crie planos de contingência, ou seja, planos B e C, caso a atividade que descreveu não for o suficiente para atingir o objetivo proposto;
8 - Por fim, celebre todas as conquistas e veja o quanto valeu a pena disciplina para colocar tudo isso em prática.



domingo, 4 de dezembro de 2016

O caminho para a recolocação profissional

Com desemprego crescente, é preciso ter foco, planejar bem os próximos passos e determinar aonde se quer chegar

Divulgação

De acordo com os dados divulgados pelo IBGE, o ano de 2015 registrou o pior número de desemprego da história do Brasil, com 38% da população desocupada. Isso significa que mais de 10 milhões de brasileiros estão sem renda fixa, e 2016 deve seguir o mesmo caminho. Pressionados pela crise, muitos optam por aceitar qualquer tipo de trabalho e vivem frustrados. Mas, seria esta a única alternativa? 

Perder o emprego deixa qualquer um desmotivado e o faz agir por impulso afim de obter resultados melhores em pouco tempo. Mas essa “Ilusão” de resultado, não passa disso. Sady Bordin, autor do livro “Vencendo a crise: 100 dicas para conseguir, manter ou trocar de emprego” afirma que a chave para a recolocação profissional está no autoconhecimento. “O que está em jogo aqui é um projeto de vida. Você faz o que você gosta? Você está fazendo do jeito que gostaria?”, explica ele sobre as duas perguntas básicas que se deve fazer a si mesmo.

Diante da crise, diversas pessoas se sentem “desesperadas” pela recolocação. “Deve-se buscar a serenidade diante da adversidade. É importante separar a questão pessoal (competências e habilidades) da conjuntural (economia em recessão) para não permitir que a autoestima do profissional fique abalada. Se a pessoa não conseguir manter a serenidade neste momento, pois a falta de tranquilidade neste momento poderá comprometer seu retorno ao mercado de trabalho”, analisa Bordin. 

A Coach e Psicoterapeuta, Cirlei Moreno, cita ainda um ponto essencial de quem está nessa situação: a velha história de mandar currículos para diversos lugares sem ter um foco. “A primeira coisa é saber quem você é, avaliar e resgatar seus valores, sonhos, virtudes. Avaliar a sua vida em todas as nuances e definir onde quer estar, com quem, como e quando”, diz. Em outras palavras, é preciso muito mais do que pensar apenas no dinheiro e no emprego-rápido. O ISMA Brasil (International Stress Management Association) realizou uma pesquisa que apontou 72% dos trabalhadores insatisfeitos com o trabalho. 

Para Bordin, não faz sentido iniciar uma jornada em busca do emprego, se não sabemos aonde queremos chegar – e isto pode levar tempo. O autoconhecimento permite uma análise minuciosa que combina necessidades e objetivos, sendo que a necessidade é o que precisamos, e os objetivos são os nossos sonhos. Para quebrar essa ansiedade, ele cita três pontos fundamentais: “Primeiro, a ‘desglamurização’ do termo sucesso. Sucesso nada mais é do que ter êxito - Se o objetivo de um jovem é arrumar um emprego de Office-boy e conseguir, podemos afirmar que ele é uma pessoa de sucesso; Segundo, ele leva tempo e não existem atalhos. Em média um profissional leva 10 anos para ser reconhecido; E terceiro, ele não está relacionado ao ter, mas ao ser”, conclui. 

A psicoterapeuta alerta ainda para a ansiedade que o estado de desemprego costuma causar e que pode ocasionar em uma carreira infeliz, interferindo em todo o estado emocional da pessoa e tirando o seu foco. “É preciso lembrar que a ansiedade é preocupação com o futuro. Viva no aqui e agora. O futuro não existe, ele é apenas uma representação. Duvide de pensamentos negativos a respeito de si mesmo, faça a autocrítica contestando estes pensamentos e determine o que quer para sua vida”. Todo momento de crise é também um momento de aprendizado e uma oportunidade de crescimento pessoal.