sexta-feira, 21 de abril de 2017

Alimentação Natural x Ração

É preciso entender as necessidades do seu pet para não comprometer a saúde dele com alimentação inadequada 

Divulgação

Os cuidados com os pets também incluem uma boa alimentação e atualmente existem diversas opções de rações, marcas e sabores para cães e gatos. Os tutores muitas vezes ficam em dúvida de qual é a mais indicada para o seu bichinho ou ainda se não seria mais saudável ele ter uma alimentação natural. Inclusive, muitas pessoas acreditam que a ração é como o nosso alimento industrializado e que só traz malefícios aos animais – o que não é verdade. Mas afinal, o que é melhor: ração ou alimentação natural?

“A melhor alimentação é aquela que supre todas as necessidades nutricionais do animal e isso é possível com os dois tipos de alimentos desde que eles sejam completos e balanceados, e com a recomendação do médico veterinário”, afirma o Dr. Cauê Toscano, veterinário e chefe da equipe do Vet Quality Centro Veterinário 24h. Em outras palavras não adianta você querer começar, de um dia para outro, a trocar a forma de alimentação do seu pet. É preciso ter o aval de um profissional. 

Para os tutores que passam mais tempo em casa e conseguem ter uns minutinhos disponíveis no dia a dia, a alimentação natural é uma boa pedida, principalmente se o cão for um pouco mais exigente para comer, ou ainda se ele estiver doente ou tiver alguma alteração específica que não conseguirá ser suprida pela ração. O tema está tão em pauta que já existem empresas que comercializam alimentos congelados para pets. Mas é preciso ter atenção! Todo alimento refrigerado (por até 3 dias) ou congelado deve ser retirado antecipadamente e deixado na temperatura ambiente – ou seja, nada de micro-ondas ou comida requentada, pois ela perde todos os nutrientes necessários. 

Isso não significa que a ração seja algo ruim. Toscano explica que existem diversos mitos que rondam o segmento, principalmente pela grande variedade do mercado, que acaba gerando dúvidas. “Existem diversas empresas idôneas de rações que são continuamente fiscalizadas para que tudo esteja de acordo com os níveis de garantia que ela oferece. O mais importante no momento da escolha do alimento é receber a orientação do veterinário e respeitar as quantidades recomendadas e os petiscos que podem ou não serem oferecidos. Dessa forma o pet terá uma vida saudável e longa”, conclui. 

A ração inclui todos os nutrientes, vitaminas e minerais que o animal precisa, enquanto que na alimentação natural é preciso estar sempre atento e ter cuidado com as variações, pois os diferentes ingredientes que estão sendo trabalhados podem desbalancear totalmente a comida dos bichinhos. Além disso, nestes casos, é sempre necessária a suplementação vitamínica e mineral. No caso dos gatos, preparar a comida pode ser ainda mais complicado, pois é preciso uma suplementação mais específica que encarece a produção e vai ainda mais além: os felinos, pelo comportamento petiscador e pela aceitabilidade, podem não ingerir todos os alimentos necessários ao longo do dia. 

“Sem o cuidado adequado existe o risco de gerar deficiências nutricionais que podem refletir na pele, ossos, sistema imune, gastroentérico, entre outros, de qualquer animal. A alimentação natural deve ser preparada por um veterinário com capacidade para isso e como as rações já são alimentos balanceados e completos eles trazem uma segurança em saber que o pet está recebendo todas as necessidades que precisa”, finaliza o veterinário.  A saúde do seu melhor amigo nunca esteve tanto “em suas mãos”, mas é importante frisar que para cada caso existe uma especificidade e quem deve avaliar a melhor alimentação para o seu bichinho é o profissional de sua confiança – assim você garante que está envolvendo amor e saúde como ingredientes da mesma tigela. 


0 comentários:

Postar um comentário